O que é a doença periodontal


Também conhecida como doença gengival, é uma infecção bacteriana da gengiva, do osso e do ligamento periodontal. Os principais fatores de risco para que ela ocorra são:

  • má higiene bucal (placa bacteriana)
  • fumo
  • diabetes
  • genética

Geralmente indolor e silenciosa, pode chegar a casos avançados (periodontites) e caso não seja tratada pode causar:

  • mau hálito
  • sangramento gengival durante a escovação e o uso da fita dental
  • gengiva vermelha, inchada e sensível
  • gengiva afastada do dente
  • pús entre a gengiva e o dente
  • dentes abalados

Doença Periodontal Avançada

A doença periodontal deve ser diagnosticada por seu dentista, que irá encaminhá-lo para o periodontista. Este realizará a sondagem periodontal e solicitará radiografias. O periodontista é um especialista com treinamento avançado em prevenção, orientando a correta técnica de higienização, e no tratamento das doenças que afetam a gengiva e o suporte dos dentes.

O que o periodontista realiza como terapia?

Educa os pacientes em controle de placa, fornece importantes informações sobre o papel da saúde do periodonto na saúde geral, descontamina as superficíes radiculares através de raspagem e alisamento radicular e realiza cirurgias periodontais. Além disso, supervisiona a saúde gengival alcançada realizando consultas periódicas de manutenção a cada 3 ou 4 meses.

Consiga o máximo de saúde periodontal em sua família

Estudos sugerem que a doença gengival pode envolver toda a família. Portanto todos deveriam realizar uma avaliação periodontal. Os pais devem estar cientes de que a gengivite é quase um achado universal em crianças e adolescentes e que esta pode progredir para a periodontite com possivel futura perda dentária. Os bons hábitos de saúde bucal devem ser praticados em família através do uso diário da fita dental e de corretas técnicas de escovação.

Doenças Periodontais Mais Comuns


As doenças periodontais que mais acometem a população mundial são Gengivite (inflamação causada pelo acúmulo e não remoção da placa bacteriana e que leva ao sangramento gengival e às mudanças na cor,consistência e volume da gengiva) e Periodontite (avanço do quadro de gengivite, com destruição dos tecidos que suportam o dente, principalmente do osso alveolar, e que leva a mobilidade dental e a futura perda do dente se o tratamento específico de descontaminação radicular não for realizado).

Cáries e Doença Periodontal

As doenças periodontais também podem ser associadas à perda de tecido mole e defeitos ósseos:

Doença e Perda de Tecido Mole

Doença Periodontal e Defeito Ósseo

Medicina Periodontal & Qualidade de Vida


Qual Seu Conceito de Qualidade de Vida?

Você sabia que sua longevidade depende de sua saúde bucal e principalmente da sua saúde periodontal? A Periodontite é uma causa importante da perda de dentes em adultos e tem forte relação com diabetes, doenças cardíacas e respiratórias, osteoporose, obesidade, partos prematuros e bebês de baixo peso.

Doença Periodontal e Diabetes

Há uma forte relação entre doença periodontal e diabetes. As pessoas com diabetes estão mais propensas a adquirir a enfermidade periodontal e recentes estudos indicam que as doenças  periodontais provocam nos individuos diabéticos dificuldades para controlar seu açúcar no sangue (glicemia).

Portanto, controlar  sua doença periodontal pode ajudar a controlar seu diabetes e vice-versa.

Doença Periodontal e Problemas Cardíacos

Qual a relação entre doença periodontal e doença cardíaca?

Gengiva e coração saudavéis tem um  papel vital na  manutenção de um corpo saudável. Como a doença periodontal é uma infecção bacteriana, bactérias periodontais  podem  penetrar na corrente  sanguinea, aderindo a placas gordurosas nas artérias coronárias e contribuindo para a formação de coágulos o que  pode  levar a ataques  cardiacos e a acidentes vasculares cerebrais (AVC).

Portanto, os pesquisadores  descobriram que  indivíduos com doença periodontal tem o dobro da probabilidade de sofrer de uma doença coronariana, se comparados  àqueles sem doença  periodontal.

Se você sabe que tem uma doença cardiaca ou se, no momento, está recebendo tratamento para alguma complicação cardio-vascular, é especialmente  importante que você tenha boa saúde periodontal. Consulte seu periodontista para uma avaliação. Ele e seu médico podem trabalhar  juntos para ajudá-lo a proteger sua saúde.

Gravidez e Doenças Periodontais

Há um forte consenso entre os estudos atuais de que a doença periodontal pode, através de infecção  bacteriana, acelerar durante a gravidez o acometimento de partos prematuros. Isto pode influenciar no nascimento de bebês de baixo peso, o que pode contribuir para um possível aumento da mortalidade infantil.

Portanto, mulheres grávidas devem se consultar periodicamente  com seu periodontista e praticar uma higienização bucal ainda melhor.

Mulheres e Saúde Gengival

Como mulher, você sabe que suas necessidades de saúde são especiais. O uso diário da fita dental, a correta escovação, uma dieta saudável, não fumar e praticar exercícios regularmente são importantes para uma boa saúde.

Em determinados momentos de sua vida há importantes alterações hormonais, como na puberdade, na menstruação, no uso de contraceptivos, na gravidez e na menopausa. Isso pode deixá-la mais suscetível a doença gengival que deve ser controlada com higiene bucal doméstica cuidadosa e cuidados profissionais regulares, incluindo um exame periodontal de rotina.

Saúde Periodontal dos Homens

  • Espectativa de vida mais curta.
  • Riscos maiores de ataque do coração.
  • Taxas mais elevadas de câncer e, segundo alguns estudos, alta incidência de periodontite — o que leva a perda dentária ser elevada a partir dos 30 anos.

Parte das razões para isso é atribuida à deficiente higiene bucal. Então, siga as seguintes orientações:

    • O uso diário da fita dental e escovação adequada previnem a formação do biofilme e desorganizam  as colônias de bactérias entre os dentes
    • Tratamento periodontal trimestral, ou conforme  sua  necessidade individual determinada pelo periodontista.

Cirurgia Periodontal


Por que Preciso de Cirurgia Periodontal?

A necessidade cirúrgica foi determinada pelo seu periodontista a partir do instante que o periodonto não pode ser recuperado através de um tratamento não cirúrgico. Atualmente as técnicas estão bastante avançadas e menos invasivas, podendo ser realizadas confortavelmemte como procedimento rotineiro de consultório com pouco incômodo pós-operatório. Em poucos dias acontece a cicatrizaçào da área operada, fazendo com que você tenha suas atividades físicas e de escovação normalizadas.

Realizar cirurgias periodontais é uma abordagem bastante contemporânea. A seguir você verá diferentes procedimentos cirúrgicos conservadores, ressectivos, de reconstrução do periodonto através de técnicas regenerativas, plásticos por intermédio de cirurgias plásticas periodontais bem como manipulação de tecidos moles em àreas periimplantares.

3.4.1 Alterações da Cor Gengival

As alterações da cor gengival com o aparecimento do pigmento melânico são mais frequentes conforme a condição racial e podem ser removidos através da técnicas cirúrgicas de dermoabrasão.

Antes e Depois

3.4.2 Aumento Estético da Coroa Clínica

Atualmente há uma grande demanda para a correção do sorriso gengival que é o aparecimento de uma grande faixa de gengiva em relação aos dentes curtos. Esta técnica cirúrgica ao remover uma quantidade de tecido gengival busca harmonizar o sorriso através da maior exposição dentária.

Antes (dente curto e excesso de gengiva) e Depois

3.4.3 Aumento da Coroa Clínica

O aumento de coroa clínica visa ao remover tecido mole e duro (osso) expor cáries, fraturas dentárias e a superfície radicular para que futuros trabalhos restauradores (restaurações, facetas ou próteses) possam ser realizados com melhor resultado funcional e estético.

Osteotomia

Pós-Operatório Imediato

Antes e Depois

3.4.4 Recobrimento Radicular com Enxerto e Emdogain

Raízes expostas comprometem tanto a função(podendo levar às cáries radiculares e a hipersensibilidade dentinária) como a estética (dentes alongados). Cobrir estas raízes com cirurgia plástica periodontal através de procedimentos cirúrgicos específicos é a terapia mais moderna e eficaz para resultados a longo prazo.

Procedimento cirúrgico e aplicação do Emdogain

Antes e Depois:

Antes (dente alongado pela exposição da raiz) e Depois (completa cobertura da raiz)

Raiz exposta vs. Cobertura da raiz e ganho de tecido ceratinizado

Caso inicial com a raiz exposta e Completa cobertura radicular

Exposição da raiz e Completa cobertura radicular

3.4.5 Reconstrução da Papila Interdental

A perda da papila interdentária traz consequências estéticas desagradáveis como o aparecimento dos buracos negros entre os dentes. Reconstruir este tecido destruido faz parte de um plano de tratamento que objetive sucesso na reabilitação oral contemporânea.

Ausência da papila e Defeito Ósseo

Reconstrução da papila interdental: antes e depois

3.4.6 Manipulação de Tecidos Moles em Implantodontia

Com o advento dos implantes o máximo da estética gengival é esperada ao redor destes. A manipulação de tecidos moles é uma abordagem cirúrgica que busca a harmonia entre os implantes e a zona gengival. Todos estes procedimentos acima são rotineiros, realizados em ambiente odontológico e  executados com o máximo de segurança para se alcançar a excelência dos resultados.

Resultado obtido após tratamento periodontal, implante e novas próteses

Emdogain® e seu uso na Periodontia Atual


Derivados da Matriz do Esmalte (DME) em Defeitos infra-ósseos

Atualmente a Periodontia busca além de estacionar a doença periodontal através de raspagem e aplainamento radicular, reconstruir o periodonto destruído. Dentre os biomateriais mais eficazes destaca-se nas linhas de pesquisa e nos resultados clínicos os derivados da matriz do esmalte (Emdogain).

Proteínas do esmalte denominadas amelogeninas são obtidas de dentes de porcos recém nascidos. O produto Emdogain utiliza destas amelogeninas que injetadas dentro da bolsa periodontal promove a nova formação da estrutura periodontal perdida.

Para se aplicar o Emdogain dentro das bolsas periodontais é necessário uma prévia descontaminação atráves de raspagem sub-gengival. Alguns dias depois realiza-se uma pequena abertura cirúrgica para acessar a superfície radicular,dando continuidade a sua descontaminação mecânica e química (aplicar o PrefGel – EDTA 24%) e em seguida aplicando o produto Emdogain e procedendo a sutura do retalho, mantendo assim o produto o mais submerso possível.

Cuidados pós-operatórios incluem evitar traumatismos à região e praticar uma cuidadosa higienização. Em alguns casos é necessário prescrever analgésico por no máximo 24 horas.Seu periodontista saberá transmitir da melhor maneira este cuidados para o sucesso da terapia objetivada.

3.5.1 Reconstrução do Periodonto

A reconstrução do periodonto é uma das mais modernas e promissoras terapias da odontologia. A utilização de barreiras (membranas) com ou sem enxertos ósseos e do  Emdogain é uma eficaz maneira de prover o periodonto de suas estruturas originais, isto é de cemento, ligamento periodontal e osso alveolar, diminuindo assim a profundidade das bolsas periodontais com consequente maior firmeza e saúde dentária.

Defeito infra-ósseo e Reconstrução óssea do Periodonto

3.5.2 Bolsa Periodontal

A bolsa periodontal é a consequencia da perda das estruturas periodontais de suporte atráves de uma infecção provocada pela atividade de microorganismos presentes na placa bacteriana ( Biofilm).Os pacientes que apresentam a doença periodontite possuem bolsas periodontais de leves à severas o que pode causar um sério impacto sobre a saúde bucal e geral.

Bolsa Periodontal

3.5.3 Perda Óssea & Reconstrução Óssea

A perda óssea é a consequência da destruição do periodonto provocado por microorganismos que por sua atividade ácida destroem o colágeno (osso alveolar). A terapia periodontal visa estacionar as perdas ósseas e quando possível em defeitos infraósseos de duas a três paredes regenerar o aparato de suporte também atráves de enxertos ósseos autógenos, alógenos ou aloplásticos.

Perda Óssea e Reconstrução Óssea